quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Antevisão da GameWeek 11




Previsão:
Stoke City e Leicester City enfrentam‑se no Britannia Stadium, num encontro para a 11ª jornada da Premier League. O historial de confrontos diretos disputados neste estádio indica equilíbrio entre estas duas equipas, já que houve 2 empates e 1 vitória para cada equipa nos últimos 4 jogos. De facto, a última vez que se encontraram neste estádio foi a 17‑12‑2016, num jogo para a Premier League, que acabou num empate por (2‑2). Os golos do jogo foram marcados por Bojan (39' ) e J. Allen (45' ) para o Stoke City e por L. Ulloa (74' ) e D. Amartey (88' ) para o Leicester City. Neste encontro o fator casa poderá ter um papel decisivo, pois o Leicester City tem apresentado diferenças de rendimento nos seus jogos em casa e como visitante.

Análise do Stoke City

A equipa da casa está atualmente na 14ª posição, com 11 pontos conquistados, depois de 3 vitórias, 2 empates e 5 derrotas. No penúltimo jogo, perdeu em casa contra o AFC Bournemouth por (1‑2). No último, ganhou fora contra o Watford por (0‑1). Esta é uma equipa pouco afetada pelo fator casa, isto é, apresenta resultados semelhantes em casa e fora, já que nos últimos 30 jogos regista 6 vitórias, 2 empates e 7 derrotas como visitante, com 19 golos marcados e 27 sofridos; contra 6 vitórias, 3 empates e 6 derrotas no seu estádio, com 21 golos marcados e 22 sofridos. Para o campeonato, o Stoke City conquistou 7 pontos em 15 possíveis, depois de 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. A solidez defensiva não tem sido o seu ponto forte, já que sofreu golos em 8 dos últimos 10 jogos, mas o seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos disputados nesta competição, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 6 jogos em que sofreu o primeiro golo.


O Stoke entra nesta jornada depois de um triunfo forasteiro, por 0-1, na deslocação ao terreno do Watford: Fletcher, ao minuto 16’, autografou o único golo da partida. O emblema da casa costuma atuar num sistema tático em 5-2-3, privilegiando as transições rápidas, principalmente através das alas. Um dos pontos fortes do conjunto caseiro é a forma como conseguem concretizar os livres diretos. De salientar que o Stoke apresenta muitas dificuldades na finalização das oportunidades que consegue criar. O técnico Mark Hughes não vai poder contar com Stephen Ireland por se encontrar lesionado. 

Onze titular confirmado: J. Butland, R. Shawcross, K. Zouma, E. Pieters, K. Wimmer, X. Shaqiri, D. Fletcher, J. Allen, E. Choupo-Moting, M. Diouf, Ramadan Sobhi.

Treinador: M. Hughes.

Análise do Leicester City

A equipa visitante está atualmente na 11ª posição, com 12 pontos conquistados, depois de 3 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. No penúltimo jogo, ganhou fora contra o Swansea City por (1‑2). No último jogo, ganhou em casa contra o Everton por (2‑0). Esta é uma equipa mais forte quando joga no seu estádio, pois nos últimos 30 jogos regista 4 vitórias, 4 empates e 7 derrotas como visitante; contra 8 vitórias, 4 empates e 3 derrotas no seu estádio. Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o Leicester City regista 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas, pelo que conquistou 5 pontos em 15 possíveis. A equipa permitiu golos ao adversário em 7 dos últimos 10 jogos, pelo que não tem apresentado grande solidez defensiva, mas o seu ataque tem marcado com regularidade, já que conseguiu concretizar em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 6 jogos em que sofreu o primeiro golo. Nos últimos 7 jogos fora para todas as competições há 2 períodos que se destacam: marcou 4 dos seus 10 golos entre os minutos (46'‑60'); sofreu 4 dos seus 9 golos entre os minutos (76'‑90').


O Leicester entra nesta ronda motivado depois de uma vitória caseira, por 2-0, na receção ao Everton: Vardy e Gray, ainda no primeiro tempo, marcaram os “tentos” que permitiram ao Leicester conquistar os três pontos. O inglês Vardy é a principal referência de ataque dos forasteiros, sendo que a sua qualidade de desmarcação e finalização é invejável. Não será de estranhar que o Leicester opte por atuar com um desenho tático em 4-3-3, com o objetivo de canalizar o seu processo ofensivo através do corredor central. O treinador Claude Puel não vai poder contar com Robert Huth para esta jornada, por se encontrar lesionado. 

Onze titular confirmado: K. Schmeichel, W. Morgan, D. Simpson, H. Maguire, C. Fuchs, R. Mahrez, D. Gray, W. Ndidi, Iborra, J. Vardy, S. Okazaki.

Treinador: C. Shakespeare.




Previsão:
Huddersfield Town e West Bromwich Albion medem forças no The John Smith's Stadium, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. Não há registo de confrontos diretos entre estas duas equipas nos últimos 3 anos. O último confronto foi disputado a 02‑01‑2010 e terminou com o resultado: Huddersfield Town (0‑2) West Bromwich Albion. Neste encontro o fator casa poderá ter um papel importante, já que o West Bromwich Albion apresenta diferenças significativas nos resultados conquistados em casa e como visitante.

Análise do Huddersfield Town

A equipa da casa está atualmente na 11ª posição, com 12 pontos conquistados, depois de 3 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. No penúltimo jogo, ganhou em casa contra o Manchester United por (2‑1). No último, perdeu fora contra o Liverpool por (3‑0). Esta é uma equipa que mantém o rendimento quando joga fora do seu estádio, pois nos últimos 30 jogos regista 5 vitórias, 4 empates e 6 derrotas como visitante; contra 6 vitórias, 4 empates e 5 derrotas no seu estádio. Para o campeonato, o Huddersfield Town conquistou 8 pontos em 15 possíveis, depois de 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. Em 10 jogos disputados nesta competição, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 4 jogos em que sofreu o primeiro golo. Há 1 período em destaque nos últimos 7 encontros disputados em casa para todas as competições: marcou 4 dos seus 6 golos entre os minutos (46'‑60').


A turma do Huddersfield Town arranca para este jogo com uma derrota no terreno do Liverpool, por 3-0, somando o terceiro desaire nos últimos quatro jogos disputados nesta competição. Neste jogo dentro de portas o comandante David Wagner deve jogar no habitual 4-2-3-1 beneficiando a posse de bola e os ataques organizados, sendo Mooy o principal organizador e criador do processo ofensivo. De destacar que a equipa caseira patenteia alguma dificuldade no entrosamento e organização da sua linha mais defensiva.  Ao que tudo indica o treinador não pode contar com Stankovic, Palmer, Hefele e Billing, todos lesionados. 

Onze titular confirmado: J. Lössl, M. Jørgensen, F. Hadergjonaj, C. Schindler, S. Malone, T. Ince, R. van La Parra, J. Hogg, A. Mooy, L. Depoitre, E. Kachunga.

Treinador: D. Wagner.

Análise do West Bromwich Albion

A equipa visitante está atualmente na 14ª posição, com 10 pontos conquistados, depois de 2 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. No penúltimo jogo, perdeu fora contra o Southampton por (1‑0). No último jogo, perdeu em casa contra o Manchester City por (2‑3). Esta é uma equipa que curiosamente tem sido mais forte fora do que em casa, pois nos últimos 30 jogos regista 4 vitórias, 3 empates e 8 derrotas como visitante; contra 3 vitórias, 3 empates e 9 derrotas no seu estádio. Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o West Bromwich Albion regista 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas, pelo que conquistou 4 pontos em 15 possíveis. 


Para esta competição, não ganhou nenhum dos últimos 8 jogos. A solidez defensiva não tem sido o seu ponto forte, já que sofreu golos em 7 dos últimos 10 jogos, mas o seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 4 vezes e nunca conseguiu dar a volta ao resultado. Nos últimos 7 jogos fora para todas as competições há 2 períodos que se destacam: marcou 3 dos seus 6 golos entre os minutos (61'‑75'); sofreu 3 dos seus 8 golos entre os minutos (76'‑90').



O West Bromwich parte para este jogo desmotivado depois de ter somado mais uma derrota para o campeonato, desta vez em casa frente ao Manchester City, por 2-3: Rodríguez e Phillips fizeram os tentos da equipa. Neste jogo fora de portas o comandante Tony Pulis deve atuar em 3-5-2 beneficiando a organização defensiva e as bolas paradas para o ataque, especialmente para o Rondón: este jogador é muito rápido e exímio na finalização. Importa frisar que o West Bromwich apresenta algumas dificuldades na manutenção da posse de bola e organização do seu bloco. Ao que tudo indica o treinador não pode contar com os lesionados Dawson e Morrison. 

Onze titular confirmado: B. Foster, Ahmed Hegazi, A. Nyom, G. McAuley, K. Gibbs, J. Evans, G. Krychowiak, G. Barry, J. Livermore, J. Rodriguez, H. Robson-Kanu.

Treinador: T. Pulis.




Previsão:
Newcastle United e AFC Bournemouth enfrentam‑se no St. James' Park, num encontro para a 11ª jornada da Premier League. Apenas há registo de 2 confrontos diretos recentes entre estas duas equipas: a 05‑03‑2016, que terminou com a vitória do AFC Bournemouth por (1‑3), e a 07‑11‑2015, que terminou com a vitória do Newcastle United por (0‑1). Neste encontro o fator casa poderá ter um papel importante, já que ambas as equipas apresentam diferenças significativas nos resultados conquistados em casa e como visitante.

Análise do Newcastle United

A equipa da casa está atualmente na 9ª posição, com 14 pontos conquistados, depois de 4 vitórias, 2 empates e 4 derrotas. No penúltimo jogo, ganhou em casa contra o Crystal Palace por (1‑0). No último, perdeu fora contra o Burnley por (1‑0). Esta é uma equipa mais forte quando joga no seu estádio, pois nos últimos 30 jogos regista 5 vitórias, 4 empates e 6 derrotas como visitante; contra 9 vitórias, 4 empates e 2 derrotas no seu estádio. Para o campeonato, o Newcastle United conquistou 10 pontos em 15 possíveis, depois de 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. 


Para esta competição, não perde no seu estádio há 4 jogos. A solidez defensiva não tem sido o seu ponto forte, já que sofreu golos em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 5 vezes e nunca conseguiu dar a volta ao resultado.



O Newcastle volta a jogar casa para a Premier League, procura a sua segunda vitória consecutiva em casa na competição, e assim compensar os resultados não muito satisfatórios que tem acumulado fora de casa. Na última jornada, o clube finalizou tanto quanto o adversário e teve até mais posse de bola, porém não conseguiu furar o bloqueio da defesa do Burnley e acabou derrotado. Os números da competição indicam que a equipa tem uma defesa muito consistente, está entre as cinco menos batidas. Por outro lado, o seu ataque deixa a desejar, o que pode ser explicado pela baixa média de posse de bola e pelos muitos passes errados. É provável que o técnico mantenha o 4-2-3-1 pois não tem grandes baixas para esse jogo. 

Onze titular confirmado: R. Elliot, J. Lascelles, D. Yedlin, F. Lejeune, Javi Manquillo, I. Hayden, M. Ritchie, C. Atsu, J. Shelvey, Joselu, D. Gayle.

Treinador: Rafael Benítez.

Análise do AFC Bournemouth

A equipa visitante está atualmente na 19ª posição, com 7 pontos conquistados, depois de 2 vitórias, 1 empate e 7 derrotas. No penúltimo jogo, ganhou fora contra o Stoke City por (1‑2). No último jogo, perdeu em casa contra o Chelsea por (0‑1). Esta é uma equipa que curiosamente apresenta resultados mais positivos fora do que em casa, já que nos últimos 30 jogos regista 7 vitórias, 3 empates e 5 derrotas como visitante, com um total de 17 golos marcados e 19 sofridos; contra 6 vitórias, 4 empates e 5 derrotas no seu estádio, com um total de 22 golos marcados e 18 sofridos. Para o campeonato, o AFC Bournemouth conquistou 3 pontos em 15 possíveis, depois de 1 vitória e 4 derrotas nos últimos 5 jogos que disputou como visitante. A equipa permitiu golos ao adversário em 9 dos últimos 10 jogos para esta competição, pelo que não tem estado muito forte defensivamente. Em 10 jogos nesta prova, apenas conseguiu 1 reviravolta nos 6 jogos em que sofreu o primeiro golo.


O Bournemouth não atravessa uma boa fase e acumula resultados negativos e vai ficando para trás na tabela classificatória da Premier League, visto que conquistou somente uma vitória nas últimas cinco jornadas. Observando os números da competição, fica muito claro que o principal responsável por esse desempenho tem sido o setor ofensivo, que é o segundo pior do campeonato, com uma média de 0,6 golos por partida, tendo deixado de marcar em seis dos dez jogos disputados. No seu último confronto mostrou um grupo ofensivamente muito apático, que finalizou somente sete vezes, mesmo jogando dentro de casa, sofrendo assim mais uma derrota. Como visitante, o clube possui a quarta pior campanha, e nessa condição marcou apenas três golos. Para essa partida, o treinador deve configurar a equipa no 4-4-1-1 ou no 3-4-1-2, com destaque para King no setor ofensivo. 

Onze titular confirmado: A. Begović, S. Francis, N. Aké, S. Cook, C. Daniels, J. Ibe, M. Pugh, A. Surman, H. Arter, J. King, C. Wilson.

Treinador: E. Howe.




Previsão:
Southampton e Burnley medem forças no St. Mary's Stadium, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. O historial de confrontos diretos disputados neste estádio favorece a equipa da casa, que nos últimos 3 jogos ganhou 3. De facto, no último confronto neste estádio, para a Premier League, a 16‑10‑2016, o Southampton ganhou por (3‑1). Os golos do jogo foram marcados por C. Austin (52' e 66' ) e N. Redmond (60' ) para o Southampton e por S. Vokes (72' ) para o Burnley. É necessária atenção especial para a condição casa/fora, já que ambas as equipas apresentam resultados significativamente diferentes nos seus jogos em casa e fora.

Análise do Southampton

Depois de 3 vitórias, 4 empates e 3 derrotas, a equipa da casa está na 10ª posição, tendo conquistado 13 pontos. No último jogo, empatou com o Brighton & Hove Albion fora por (1‑1), depois de no jogo anterior ter ganho (1‑0) em casa, num jogo contra o West Bromwich Albion. Esta é uma equipa que curiosamente apresenta resultados mais positivos fora do que em casa, já que nos últimos 30 jogos regista 6 vitórias, 5 empates e 4 derrotas como visitante, com 24 golos marcados e 18 sofridos; contra 4 vitórias, 4 empates e 7 derrotas no seu estádio, com 11 golos marcados e 20 sofridos. Nos últimos 6 jogos em casa para o campeonato o Southampton regista 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, pelo que conquistou 8 pontos em 18 possíveis. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 4 vezes e nunca conseguiu dar a volta ao resultado.


O Southampton entra nesta jornada depois de um empate forasteiro, a uma bola, na deslocação ao terreno do Brighton. O emblema da casa costuma atuar num sistema tático em 4-3-3, privilegiando um estilo de jogo mais rápido e de constantes transições. Neste desenho, os três homens responsáveis por lançar o pânico na defensiva adversária são Boufal, Gabbiadini e Tadic. O técnico Mauricio Pellegrino deverá ter todo o plantel à sua disposição para esta ronda. 

Onze titular confirmado: F. Forster, V. van Dijk, Cédric Soares, M. Yoshida, R. Bertrand, D. Tadić, S. Boufal, N. Redmond, Oriol Romeu, S. Davis, M. Gabbiadini.

Análise do Burnley

A equipa visitante está atualmente na 7ª posição, com 16 pontos conquistados, depois de 4 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. No penúltimo jogo, perdeu fora contra o Manchester City por (3‑0). No último jogo, ganhou em casa contra o Newcastle United por (1‑0). Esta é uma equipa que curiosamente apresenta resultados mais positivos fora do que em casa, já que nos últimos 30 jogos regista 7 vitórias, 5 empates e 3 derrotas como visitante, com um total de 22 golos marcados e 16 sofridos; contra 5 vitórias, 5 empates e 5 derrotas no seu estádio, com um total de 13 golos marcados e 15 sofridos. Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o Burnley regista 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, pelo que conquistou 8 pontos em 15 possíveis. O seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 4 jogos em que sofreu o primeiro golo. Nos últimos 7 jogos fora para todas as competições há 3 períodos que se destacam: marcou 4 dos seus 8 golos entre os minutos (16'‑30') e 4 dos seus 8 entre (31'‑45'); sofreu 3 dos seus 7 golos entre os minutos (61'‑75').


O Burnley entra nesta ronda motivado depois de um triunfo caseiro, por 1-0, na receção ao Newcastle: Hendrick, ao minuto 74’, carimbou o único golo do encontro. O conjunto visitante costuma atuar num sistema tático em 4-3-3, privilegiando um estilo de jogo mais lento e organizado. Adivinha-se que os três intervenientes responsáveis por lançar o pânico na defensiva adversária sejam Barnes, Gudmundsson e Brady. O treinador Sean Dyche não vai poder contar com Walters, Marney e Tom Heaton por se encontrarem lesionados. 

Onze titular confirmado: N. Pope, J. Tarkowski, M. Lowton, B. Mee, S. Ward, J. Hendrick, J. Guðmunds­son, R. Brady, S. Defour, J. Cork, C. Wood.

Treinador: S. Dyche.





Previsão:
Swansea City e Brighton & Hove Albion medem forças no Liberty Stadium, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. Não há registo de confrontos diretos entre estas duas equipas nos últimos 3 anos. O último confronto foi disputado a 11‑08‑2009 e terminou com o resultado: Swansea City (3‑0) Brighton & Hove Albion.

Análise do Swansea City

Depois de 2 vitórias, 2 empates e 6 derrotas, a equipa da casa está na 18ª posição, tendo conquistado 8 pontos. No último jogo, perdeu com o Arsenal fora por (2‑1), depois de no jogo anterior ter perdido (1‑2) em casa, num jogo contra o Leicester City. Nos últimos 5 jogos em casa para o campeonato o Swansea City regista 1 vitória e 4 derrotas, pelo que conquistou 3 pontos em 15 possíveis. Há uma tendência para haver golos nos seus jogos em casa, pois 18 dos últimos 21 encontros que disputou terminaram com Mais de 1,5 golos. Em 10 jogos disputados nesta competição, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 5 jogos em que sofreu o primeiro golo. Nos últimos 7 jogos em casa para todas as competições há 1 período que se destaca: sofreu 5 dos seus 11 golos entre os minutos (76'‑90').


O Swansea City tem tudo um péssimo desempenho no Campeonato Inglês, apenas 1 vitória nas últimas 7 jornadas, vem de 2 derrotas consecutivas e procura sair dos últimos lugares. O grande problema até aqui tem sido o ataque que apenas marcou 7 golos e é o terceiro menos eficiente entre as 20 equipas da League. A defesa é razoável, sofreu 12 golos e é a oitava meelhor. Em casa, como a partida deste sábado, o Swansea tem o pior desempenho da Premier League, ganhou apenas 20% dos pontos disputados e é o terceiro clube que menos marcou, mas também o terceiro que mais sofreu golos diante de seus torcedores. Para o confronto deste sábado, o treinador Paul Clement não poderá contar com Renato Sanches por conta de lesão, um importante desfalque no setor de criação. 

Onze titular confirmado: Ł. Fabiański, F. Fernández, K. Naughton, A. Mawson, N. Dyer, S. Clucas, L. Fer, Ki Sung-Yeung, T. Carroll, T. Abraham, J. Ayew.

Treinador: P. Clement.

Análise do Brighton & Hove Albion

Depois de 3 vitórias, 3 empates e 4 derrotas, a equipa visitante está na 12ª posição, tendo conquistado 12 pontos. No último jogo, empatou com o Southampton em casa por (1‑1), depois de no jogo anterior ter ganho fora, num jogo contra o West Ham United, por (0‑3). Para o campeonato, o Brighton & Hove Albion conquistou 4 pontos em 15 possíveis, depois de 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas nos últimos 5 jogos que disputou como visitante. A equipa permitiu golos ao adversário em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição, pelo que não tem estado muito forte defensivamente. Em 10 jogos nesta prova, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 4 jogos em que sofreu o primeiro golo.


O Brighton & Hove Albion tem tido um mediano, porém esperado, desempenho no Campeonato Inglês, está numa sequência de 3 jogos sem perder e quer manter a boa fase para se afastar da zona de descida. O clube marcou 10 golos e é o décimo melhor da League, enquanto sua defesa sofreu 11 golos e é a oitava menos batida, demonstrando equilíbrio entre os setores ofensivo e defensivo, embora haja margem para melhorar em ambos. Fora de casa, como a partida deste sábado, o Brighton & Hove Albion conquistou a primeira vitória no último jogo. Vale a pena referir que não conseguiu balançar as redes em 3 dos 5 jogos na condição de visitante. Para a partida diante do Swansea City, o treinador Chris Hughton não tem problemas na equipa titular e deve repetir o 11 inicial da última jornada. 

Onze titular confirmado: M. Ryan, S. Duffy, Bruno Saltor, L. Dunk, G. Bong, P. Groß, A. Knockaert, D. Stephens, D. Pröpper, G. Murray, J. Izquierdo.

Treinador: C. Hughton.





 Previsão:
West Ham United e Liverpool medem forças no Olympic Stadium, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. O registo de confrontos diretos recentes favorece a equipa visitante, que nos últimos 10 jogos ganhou 4, empatou 3 e perdeu 3. O anterior confronto direto entre estas duas equipas, a 14‑05‑2017, terminou com a vitória do Liverpool por (0‑4).

Análise do West Ham United

Depois de 2 vitórias, 3 empates e 5 derrotas, a equipa da casa está na 16ª posição, tendo conquistado 9 pontos. No último jogo, empatou com o Crystal Palace fora por (2‑2), depois de no jogo anterior ter perdido (0‑3) em casa, num jogo contra o Brighton & Hove Albion. Nos últimos 4 jogos em casa para o campeonato o West Ham United regista 2 vitórias e 2 derrotas, pelo que conquistou 6 pontos em 12 possíveis. A equipa permitiu golos ao adversário em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição, pelo que não tem estado muito forte defensivamente. Em 10 jogos disputados nesta competição, nunca conseguiu dar a volta ao marcador nos 5 jogos em que sofreu o primeiro golo. Há 2 períodos em destaque nos últimos 6 encontros disputados em casa para todas as competições: marcou 4 dos seus 8 golos entre os minutos (76'‑90'); sofreu 3 dos seus 6 golos entre os minutos (31'‑45').


O West Ham está a fazer uma temporada insatisfatória no Campeonato Inglês, ganhou apenas 1 dos últimos 6 jogos disputados e precisa recuperar para tentar afastar-se da zona de despromoção da qual está apenas a 1 ponto. O clube caracteriza-se por um ataque médio que marcou 10 golos e é o nono pior da competição, enquanto a defesa sofreu 19 golos e é a quarta mais penetrada, evidenciando assim o desequilíbrio entre os sectores ofensivo e defensivo, embora seja necessário melhorar ambos. Ao jogar em casa, como o confronto deste sábado, o West Ham tem a quinta pior prestação da Premier League com aproveitamento de 50% e vale a pena ressalvar que é o sexto clube que menos marcou golos na condição de anfitrião com 5 golos em 4 jogos. Para o jogo contra o Liverpool, o treinador Slaven Bilic deve repetir o mesmo plantel que jogou na última volta, já que o Sakho e o Collins ainda não se recuperaram totalmente de lesão e ainda não devem estar em campo neste jogo. 

Onze titular confirmado: J. Hart, W. Reid, A. Cresswell, A. Ogbonna, C. Kouyaté, E. Fernandes, Pedro Obiang, M. Lanzini, M. Noble, Javier Hernández, A. Ayew.

Treinador: S. Bilić.

Análise do Liverpool

Depois de 4 vitórias, 4 empates e 2 derrotas, a equipa visitante está na 6ª posição, tendo conquistado 16 pontos. No último jogo, ganhou ao Huddersfield Town em casa por (3‑0), depois de no jogo anterior ter perdido fora, num jogo contra o Tottenham Hotspur, por (4‑1). No último jogo que disputou, para a UEFA Champions League, ganhou ao Maribor em casa por (3‑0). Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o Liverpool regista 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas, pelo que conquistou 5 pontos em 15 possíveis. O seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 4 vezes e nunca conseguiu dar a volta ao resultado.


O Liverpool recuperou-se de 3 jogos sem ganhar com uma boa vitória na última volta e agora procura mais 3 pontos para se tentar aproximar dos líderes do Campeonato Inglês. O clube caracteriza-se por um ataque razoável que marcou 17 golos e é o sexto melhor da competição, enquanto que a defesa, por outro lado, vem demonstrando baixa solidez, sofreu 16 golos e é a sexta mais penetrada, demonstrando o desequilíbrio entre os 2 sectores, sendo preciso deixar menos espaços abertos na área da defesa. Ao jogar fora de casa, como o jogo deste sábado, o Liverpool está a encontrar dificuldades com apenas 1 vitória em 5 jogos e o mais preocupante é que sofreu golos em todos estes jogos, evidenciando mais uma vez a fragilidade defensiva, para além de ser o clube que mais sofreu golos na condição de visitante. Para o confronto frente ao West Ham, o treinador Jorgen Klopp vai para campo com o mesmo plantel que derrotou o Huddersfield na última volta, com destaque para Salah que encaixou muito bem na equipa inglesa e é o melhor marcador da equipa no nacional com 5 golos marcados. 

Onze titular confirmado: S. Mignolet, J. Matip, J. Gomez, R. Klavan, Alberto Moreno, A. Oxlade-Chamberlain, E. Can, G. Wijnaldum, Roberto Firmino, Mohamed Salah, S. Mané.

Treinador: J. Klopp.





Análise estatística:
Tottenham Hotspur e Crystal Palace enfrentam‑se no Wembley Stadium, num encontro para a 11ª jornada da Premier League. O registo de confrontos diretos recentes favorece a equipa da casa, que nos últimos 8 jogos ganhou 5, empatou 1 e perdeu 2. O anterior confronto direto entre estas duas equipas, a 26‑04‑2017, terminou com a vitória do Tottenham Hotspur por (0‑1). Neste encontro o fator casa poderá ter um papel decisivo, pois o Crystal Palace tem apresentado diferenças de rendimento nos seus jogos em casa e como visitante.

Análise do Tottenham Hotspur

A equipa da casa está atualmente na 3ª posição, com 20 pontos conquistados, depois de 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. No penúltimo jogo, ganhou em casa contra o Liverpool por (4‑1). No último, perdeu fora contra o Manchester United por (1‑0). Esta é uma equipa que mantém o rendimento quando joga fora do seu estádio, pois nos últimos 30 jogos regista 10 vitórias, 1 empate e 4 derrotas como visitante; contra 10 vitórias, 2 empates e 3 derrotas no seu estádio. No último jogo que disputou, para a UEFA Champions League, ganhou ao Real Madrid em casa por (3‑1). Nos últimos 5 jogos em casa para o campeonato o Tottenham Hotspur regista 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, pelo que conquistou 8 pontos em 15 possíveis. 


Para esta competição, não perdeu nenhum dos últimos 4 jogos no seu estádio. O seu ataque tem marcado regularmente, já que conseguiu concretizar em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição. Há 1 período em destaque nos últimos 20 encontros disputados em casa para todas as competições: sofreu 7 dos seus 18 golos entre os minutos (76'‑90'). 

Onze titular confirmado: P. Gazzaniga, S. Aurier, D. Sánchez, D. Rose, J. Vertonghen, H. Winks, E. Dier, M. Sissoko, C. Eriksen, Son Heung-Min, H. Kane.

Treinador: M. Pochettino.

Análise do Crystal Palace

Depois de 1 vitória, 1 empate e 8 derrotas, a equipa visitante está na 20ª posição, tendo conquistado 4 pontos. No último jogo, empatou com o West Ham United em casa por (2‑2), depois de no jogo anterior ter perdido fora, num jogo contra o Newcastle United, por (1‑0). Esta é uma equipa afetada pelo fator casa, mais forte quando joga com o apoio dos seus adeptos, já que nos últimos 30 jogos regista 4 vitórias, 1 empate e 10 derrotas como visitante, com um total de 12 golos marcados e 32 sofridos; contra 7 vitórias, 3 empates e 5 derrotas no seu estádio, com um total de 19 golos marcados e 16 sofridos. 


Para esta competição, não ganha como visitante há 5 jogos. A equipa não tem estado muito forte defensivamente, pois sofreu sempre golos nos últimos 10 jogos, e o seu ataque necesita de melhorar, pois não conseguiu concretizar em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição. Esta é uma equipa que tem apresentado dificuldades em abrir o marcador. De facto, só abriu o marcador uma vez nos últimos 10 jogos para a Premier League. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 9 vezes e nunca conseguiu dar a volta ao resultado. 

Onze titular confirmado: J. Speroni, T. Fosu-Mensah, M. Sakho, S. Dann, J. Schlupp, J. Ward, Y. Cabaye, R. Loftus-Cheek, W. Zaha, A. Townsend, L. Milivojević.





Análise estatística:
Manchester City e Arsenal enfrentam‑se no Etihad Stadium, num encontro para a 11ª jornada da Premier League. Neste estádio, o historial de confrontos diretos é favorável à equipa da casa, que regista 2 vitórias, 1 empate e 1 derrota nos últimos 4 jogos. Efetivamente, a última vez que se enfrentaram neste estádio foi a 18‑12‑2016, num jogo para a Premier League, que acabou com a vitória do Manchester City por (2‑1). Os golos do encontro foram marcados por L. Sané (47' ) e R. Sterling (71' ) para o Manchester City e por T. Walcott (5' ) para o Arsenal. O factor casa poderá ter influência no resultado final, já que apesar de este ser um encontro entre 1º e 5º classificado, na verdade este é um jogo entre o 3º classificado em jogos em casa e o 13º como visitante.

Análise do Manchester City

Depois de 9 vitórias e 1 empate, a equipa da casa está na 1ª posição, tendo conquistado 28 pontos. No último jogo, ganhou ao West Bromwich Albion fora por (2‑3), depois de no jogo anterior ter ganho (3‑0) em casa, num jogo contra o Burnley. Esta é uma equipa que normalmente conquista resultados mais positivos como visitante do que em casa, já que conquistou 15 pontos fora, com 14 golos marcados e 3 sofridos, e 13 pontos em casa, com 21 golos marcados e 3 sofridos. A equipa chega a este encontro depois de uma vitória fora com o Napoli por (2‑4). Para o campeonato, o Manchester City conquistou 13 pontos em 15 possíveis, depois de 4 vitórias e 1 empate nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. 


Para esta competição, regista uma sequência de 4 vitórias nos últimos jogos em casa e não perdeu nenhum dos últimos 10 jogos que disputou. O seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou pelo menos um golo em cada um dos últimos 10 jogos para esta competição. Nos seus jogos em casa há uma tendência para haver golos, já que 38 dos seus últimos 55 jogos terminaram com Mais de 2,5 golos. Esta é uma equipa que marca muitas vezes primeiro: abriu o marcador em 8 dos seus últimos 10 jogos para a Premier League, desses 8 chegou ao intervalo em vantagem em 6 e conseguiu sempre manter a vantagem até ao final dos 90’. Há 1 período em destaque nos últimos 20 encontros disputados em casa para todas as competições: sofreu 5 dos seus 13 golos entre os minutos (31'‑45'). 

Onze titular confirmado: Ederson Moraes, J. Stones, K. Walker, N. Otamendi, R. Sterling, F. Delph, K. De Bruyne, L. Sané, Fernandinho, David Silva, S. Agüero.

Treinador: Guardiola.

Análise do Arsenal

Depois de 6 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, a equipa visitante está na 5ª posição, tendo conquistado 19 pontos. No último jogo, ganhou ao Swansea City em casa por (2‑1), depois de no jogo anterior ter ganho fora, num jogo contra o Everton, por (2‑5). Esta é uma equipa afetada pelo fator casa, já que conquistou 4 pontos como visitante e 15 no seu estádio, com 13 golos marcados e 4 golos sofridos em casa, contra 6 golos marcados e 9 sofridos como visitante. No último jogo que disputou, para a UEFA Europa League, empatou com o Crvena Zvezda em casa por (0‑0). Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o Arsenal regista 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas, pelo que conquistou 4 pontos em 15 possíveis. O seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição. Nos seus jogos como visitante há uma tendência para haver golos, já que 37 dos seus últimos 56 jogos terminaram com Mais de 2,5 golos. Em 10 jogos nesta prova, conseguiu dar a volta ao resultado em 2 dos 4 jogos em que sofreu o primeiro golo. 
Onze titular confirmado: P. Čech, L. Koscielny, Bellerín, Nacho Monreal, S. Kolašinac, M. Özil, A. Ramsey, A. Iwobi, F. Coquelin, G. Xhaka, A. Sánchez.

Treinador: A. Wenger.





Previsão:
Chelsea e Manchester United medem forças no Stamford Bridge, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. O historial de confrontos diretos disputados neste estádio favorece a equipa da casa, que nos últimos 6 jogos ganhou 5 e empatou 1. De facto, no último confronto neste estádio, para a FA Cup, a 13‑03‑2017, o Chelsea ganhou por (1‑0). N. Kanté (51' ) marcou o único golo do jogo. É necessário analisar com atenção especial a condição casa/fora, pois o Chelsea apresenta resultados diferentes em casa e fora.

Análise do Chelsea

Depois de 6 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, a equipa da casa está na 4ª posição, tendo conquistado 19 pontos. No último jogo, ganhou ao AFC Bournemouth fora por (0‑1), depois de no jogo anterior ter ganho (4‑2) em casa, num jogo contra o Watford. Esta é uma equipa que curiosamente tem sido mais forte fora do que em casa, pois nos últimos 30 jogos regista 10 vitórias, 1 empate e 4 derrotas como visitante; contra 9 vitórias, 2 empates e 4 derrotas no seu estádio. A equipa chega a este encontro depois de uma derrota fora com a Roma por (3‑0). Para o campeonato, o Chelsea conquistou 7 pontos em 15 possíveis, depois de 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. O seu ataque tem marcado com regularidade, já que marcou golos em 8 dos últimos 10 jogos para esta competição.


O Chelsea tem feito um bom Campeonato Inglês onde aparece na parte de cima da classificação, vem de 2 vitórias consecutivas no campeonato e precisa de manter o bom rendimento para tentar diminuir a distância de 9 pontos para o líder em pontos. O clube caracteriza-se por um ataque de boa eficiência que marcou 18 golos e é o quinto melhor da Premier League, enquanto que a defesa sofreu 10 golos, sendo a sexta menos penetrada, demonstrando o bom equilíbrio entre os sectores ofensivo e defensivo, embora haja margem para melhorar em ambos pela qualidade de seu plantel. Ao jogar em casa, como a partida deste domingo, o Chelsea tem encontrado algumas dificuldades, ganhou apenas 1 dos últimos 3 jogos e em dois destes jogos não conseguiu marcar, criando a necessiadade ser mais eficiente neste tipo de situação. Para o confronto frente ao Manchester United, o treinador Antonio Conte deve contar com a volta do defesa Kante, peça essencial no sistema defensivo da equipa. 

Onze titular confirmado: T. Courtois, A. Christensen, D. Zappacosta, Azpilicueta, Marcos Alonso, G. Cahill, Fàbregas, N. Kanté, E. Hazard, T. Bakayoko, Álvaro Morata.

Treinador: A. Conte.

Análise do Manchester United

A equipa visitante está atualmente na 2ª posição, com 23 pontos conquistados, depois de 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota. No penúltimo jogo, perdeu fora contra o Huddersfield Town por (2‑1). No último jogo, ganhou em casa contra o Tottenham Hotspur por (1‑0). Esta é uma equipa pouco afetada pelo fator casa, isto é, apresenta resultados semelhantes em casa e fora, já que nos últimos 30 jogos regista 9 vitórias, 3 empates e 3 derrotas como visitante, com um total de 29 golos marcados e 12 sofridos; contra 12 vitórias e 3 empates no seu estádio, com um total de 35 golos marcados e 5 sofridos. No último jogo que disputou, para a UEFA Champions League, ganhou ao Benfica em casa por (2‑0). Nos últimos 5 jogos fora para o campeonato o Manchester United regista 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, pelo que conquistou 8 pontos em 15 possíveis. A defesa tem estado em bom plano e apenas sofreu golos em 2 dos últimos 10 jogos, e o seu ataque tem marcado com regularidade, já que conseguiu concretizar em 9 dos últimos 10 jogos para esta competição.


O Manchester United tem feito uma óptima campanha na Premier League, encerrou uma série de 2 jogos sem ganhar com uma grande vitória no clássico sobre o Tottenham na última volta e vai atrás de mais 3 pontos para não deixar o rival Manchester City criar uma vantagem ainda maior na liderança da competição. O segredo para o óptimo rendimento até aqui tem sido o grande equilíbrio entre os sectores ofensivo e defensivo, já que marcou 23 golos, sendo o segundo melhor ataque do campeonato e sofreu apenas 4 golos, tendo a defesa menos penetrada. Ao jogar fora de casa, como a partida deste domingo, o Manchester United não ganha há 2 jogos, porém não sofreu golos em 3 dos 5 jogos que fez como visitante onde costuma jogar sem se expor. Para o clássico com o Chelsea, o treinador José Mourinho deve repetir o plantel utilizado na vitória sobre o Tottenham na última volta. 

Onze titular confirmado: David de Gea, P. Jones, A. Valencia, E. Bailly, C. Smalling, H. Mkhitaryan, A. Young, N. Matić, Ander Herrera, M. Rashford, R. Lukaku.

Treinador: José Mourinho.





Previsão:
Everton e Watford medem forças no Goodison Park, num jogo para a 11ª jornada da Premier League. O registo de confrontos diretos recentes entre as duas equipas não podia ser mais equilibrado, já que houve 2 empates e 1 vitória para cada equipa das últimas 4 vezes que se encontraram. O anterior confronto direto entre estas duas equipas, a 12‑05‑2017, terminou com a vitória do Everton por (1‑0). É necessário analisar com atenção especial a condição casa/fora, pois o Everton apresenta resultados diferentes em casa e fora.

Análise do Everton

Depois de 2 vitórias, 2 empates e 6 derrotas, a equipa da casa está na 18ª posição, tendo conquistado 8 pontos. No último jogo, perdeu com o Leicester City fora por (2‑0), depois de no jogo anterior ter perdido (2‑5) em casa, num jogo contra o Arsenal. Esta é uma equipa afetada pelo fator casa, mais forte quando joga com o apoio dos seus adeptos, já que nos últimos 30 jogos regista 3 vitórias, 4 empates e 8 derrotas como visitante, com 12 golos marcados e 25 sofridos; contra 8 vitórias, 2 empates e 5 derrotas no seu estádio, com 24 golos marcados e 22 sofridos. A equipa chega a este encontro depois de uma derrota fora com o Olympique Lyonnais por (3‑0). Para o campeonato, o Everton conquistou 6 pontos em 15 possíveis, depois de 2 vitórias e 3 derrotas nos últimos 5 jogos que disputou no seu estádio. A solidez defensiva não tem sido o seu ponto forte, já que sofreu golos em 9 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 7 vezes e apenas conseguiu 1 reviravolta.


O Everton não tem feito uma boa campanha nesta edição do Campeonato Inglês e agora está novamente há quatro voltas sem ganhar, tendo acumulado três derrotas neste período, em que marcou somente três golos. Na última volta, o clube mostrou muita qualidade na troca de passes, teve mais posse de bola e finalizou quase o dobro das vezes do adversário, mas não foi eficiente e acabou por sofrer os dois golos da derrota ainda na primeira parte. A má actuação defensiva deste confronto não foi uma exclusividade: a equipa é dona da segunda pior defesa da competição, com uma média de 2 golos sofridos por jogo. No entanto, o ataque também não tem feito a sua parte, aparecendo entre os cinco mais fracos. Como anfitrão, o clube ainda não empatou, tendo três derrotas e duas vitórias. Para este jogo, o técnico ainda não poderá contar com Keane, que está lesionado. 

Onze titular confirmado: J. Pickford, P. Jagielka, J. Kenny, M. Keane, L. Baines, B. Baningime, G. Sigurðsson, I. Gueye, T. Davies, O. Niasse, W. Rooney.

Treinador: R. Koeman.

Análise do Watford

Depois de 4 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, a equipa visitante está na 8ª posição, tendo conquistado 15 pontos. No último jogo, perdeu com o Stoke City em casa por (0‑1), depois de no jogo anterior ter perdido fora, num jogo contra o Chelsea, por (4‑2). Esta é uma equipa que mantém o rendimento quando joga fora do seu estádio, pois nos últimos 30 jogos regista 4 vitórias, 3 empates e 8 derrotas como visitante; contra 5 vitórias, 4 empates e 6 derrotas no seu estádio. Para o campeonato, o Watford conquistou 10 pontos em 15 possíveis, depois de 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota nos últimos 5 jogos que disputou como visitante. A equipa permitiu golos ao adversário em 7 dos últimos 10 jogos, pelo que não tem apresentado grande solidez defensiva, mas o seu ataque tem marcado com regularidade, já que conseguiu concretizar em 7 dos últimos 10 jogos para esta competição. Em 10 jogos nesta prova, sofreu o primeiro golo 5 vezes e apenas conseguiu 1 reviravolta.


O Watford andava a fazer uma boa campanha dentro do Campeonato Inglês, chegando a conseguir três vitórias consecutivas como visitante, mas agora parece ter caído de forma, visto que aparece de duas derrotas consecutivas, período em que sofreu cinco golos, o que demonstra alguma inconsistência no sistema defensivo. Este sector tem sido, de facto, um obstáculo para o clube atingir posições melhores na tabela classificativa, já que aparece entre os cinco mais penetrados da competição. Em contrapartida, o seu ataque tem dado conta do recado, embora dentro de casa não tenha conseguido marcar em três dos cinco confrontos. Como visitante, a equipa é dona da quarta melhor campanha e nessa condição possui um dos melhores ataques, contrastando bastante com o seu desempenho em frente da sua claque. Quem vem ganhando destaque no clube é o defesa belga Kabasele. 

Onze titular confirmado: Gomes, C. Kabasele, Kiko Femenía, M. Britos, J. Holebas, A. Carrillo, W. Hughes, A. Doucouré, T. Cleverley, A. Gray, Richarlison.

Treinador: Marco Silva.
Enviar um comentário